JAUMAIS - O primeiro em informações de Jahu e Região

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Notícias
Outras Notícias
Entretenimento
Vídeos
Anuncie
Fale Conosco
Parceiros

16/08/2011 às 07h22min - Atualizada em 16/08/2011 às 07h22min
- ()
TAMANHO DA FONTE A- A+
Prefeito de Mineiros é condenado por contratações sem licitação

A Justiça de Jaú acatou denúncia de ato de improbidade administrativa feita pelo Ministério Público (MP) em ação civil pública e condenou o prefeito de Mineiros do Tietê, João Sanchez (PPS), à suspensão dos direitos políticos por cinco anos e ao ressarcimento dos valores pagos indevidamente em contratações, sem licitação, para publicação de atos oficiais da Prefeitura na imprensa.

Na ação, o promotor de Justiça Celso Élio Vannuzini também pedia que o prefeito fosse condenado à perda da função pública, mas a Justiça considerou a pena severa. O promotor afirma que o chefe do Executivo não planejou devidamente gastos com a publicação dos atos oficiais, além de não realizar a devida licitação para a contratação dos serviços.

Em sua defesa, o prefeito alegou que as publicações foram regulares e que não houveram excessos ou exageros, já que o valor legal não havia sido ultrapassado. Ele justificou ainda que as contratações não resultaram em enriquecimento ilícito e nem danos aos cofres públicos.

Na decisão, a juíza Paula Maria Castro Ribeiro Bressan declara que Sanchez fracionou as publicações para justificar a ausência de licitação e que, todas elas somadas, ultrapassam o valor previsto em lei para dispensa do certame, que é de, no máximo, R$ 8 mil.Em 2010, as publicações dos atos oficiais, feitas em quatro jornais da região, atingiram o montante de R$ 12.078,40. “A fim de se ajustar na hipótese de dispensa da licitação, o réu procurou diferenciar gastos com publicações em jornal local e jornal regional, fracionando os gastos com publicações”, afirma a juíza.

Além da suspensão dos direitos políticos por cinco anos e do ressarcimento do valor, corrigido, que excedeu o limite de R$ 8 mil, a Justiça proibiu o prefeito de contratar com o Poder Público por cinco anos e o condenou ao pagamento de multa civil de duas vezes o valor da contratação. Sanches poderá recorrer da decisão ao Tribunal de Justiça (TJ).





LINK DA NOTÍCIA - ESPALHE POR AÍ!
Campartilhar essa Notícia:




  OUTRAS NOTÍCIAS
14/01/2017 - José Mineiro de Camargo toma posse
13/01/2017 - Prefeitura de Barra Bonita reduz cargos comissionados
11/01/2017 - Kakai e Juliano Grizzo assumem secretarias
10/01/2017 - Barra Bonita Projeto autoriza implantação de “ecopontos” na cidade
09/01/2017 - Prefeitura de Pederneiras luta para que não seja fechado o Pronto Socorro da Santa Casa
08/01/2017 - Contas de telefone ficam mais caras a partir deste mês após mudança no ICMS
06/01/2017 - Receita libera dia 9 lote de restituição do Imposto de Renda
06/01/2017 - Prefeito de Bocaina suspende concurso público
05/01/2017 - Vereador de Barra Bonita Marquinhos Gava quer proibir uso de fogos de artifício em Barra Bonita
04/01/2017 - Câmara de Pederneiras pede que sobra do duodécimo vá para Santa Casa
 Publicidade

Anunciar | Ocorreu Erro | Termos de uso | Parceria | Desenvolvedores
© 2011 - Todos os direitos reservados - Jaumais